Pesquisar

Produtores pedem substituição do transporte rodoviário pelo ferroviário, fluvial e marítimo


Para setor agrícola, prioridade é investir em logística



O futuro governo de Dilma Rousseff terá de equacionar um grave problema para garantir o dinamismo do setor agrícola nacional: a logística, segundo afirmou nesta segunda-feira (1º) o vice-presidente da SNA (Sociedade Nacional de Agricultura), Joel Naegele.

- Isso importa em substituir o transporte rodoviário, que é o mais caro, por transporte ferroviário, fluvial e marítimo. Esse é o grande problema.

Segundo o executivo, a produção agrícola brasileira é mais competitiva que a dos Estados Unidos ou da Argentina, mas observou que na hora em que o produto sai da porteira da fazenda, o produtor começa a perder. Isso porque o transporte é feito por caminhão, as estradas são ruins e o produto demora a chegar ao destino.

- Ele perde tudo que ganhou produzindo bem quando põe o produto na estrada. O grande gargalo da agricultura é logística de transporte. 

Naegele citou a Ferrovia Norte-Sul, com extensão total de cerca de 6.000 km, cuja obra começou em 1987 e ainda não foi concluída.

- Vai passar por Estados altamente produtores, como Goiás e Tocantins, e o fim dessa ferrovia é o porto. Então, você começa a resolver o problema. Vai dar muito mais lucro, sem precisar aumentar preço. O produtor vai ganhar no transporte, porque o transporte rodoviário está matando a galinha dos ovos de ouro, que é a produção agrícola brasileira.



(r7.com)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leia mais