Pesquisar

Facebook: Estratégias de aproximação e vendas entre empresas e consumidores

Encontrei essa matéria no site da Exame e achei importante ser a "página do dia". Não só empresas, mas também vendendores, autônomos, escritores, artistas estão conseguindo estabelecer estratégias de negócios ou de comunicação através da página Facebook, apresentando seus produtos e serviços, ou então recebendo feedbacks sobre suas obras. Devido aos sistemas de compartilhamento de fotos, videos, mensagens, recados automáticos, informações e até mesmo preços, cada vez mais as empresas estão aderindo a essa rede social estabelecendo um vínculo entre profissionais e pessoas comuns. O mais interessante, é o modo como é possível uma gestão nos preços, a partir do momento em que as organizações percebem que o mercado virtual é bem elástico. Assim, é possível estabelecer ofertas e promoções para usuários da rede que compartilham sua vida com as empresas. É mais perceptível ainda, ver que futuramente o mercado físico deixará de existir ou apresentará uma porção muito pequena em relação ao mercado global. Confiram a matéria abaixo e entendam melhor sobre isso!




Empresas multiplicam vendas no Facebook




O Facebook tem sido usado para aumentar as vendas de pequenos comerciantes, artistas e grandes empresas. Para as três sócias da loja Drie, o Facebook é o canal de vendas mais importante. “Vendemos para amigos, amigos de amigos, que acompanham a coleção pelo álbum de fotos. Temos clientes que compram peças toda semana”, diz Mariana Oliveira, uma das proprietárias.
A empresa de venda de bijuterias, semijóias e roupas fica em Alphaville (SP) e não tem loja física - na fan page, juntou mais de 1500 contatos. “Quando alguém comenta sobre a peça, todos querem comprar, é incrível”, diz. Segundo Mariana, o Facebook muitas vezes funciona como um primeiro contato, pois a venda é realizada por mensageiro instantâneo (MSN), e-mail ou até pessoalmente.
Consultora da empresa de cosméticos Natura há seis meses, Elaine Arnold, de 34 anos, também usa o Facebook para incrementar suas vendas. “Comecei a usar o Facebook para divulgar as promoções de Natal e tive um bom retorno. É uma ferramenta que dá uma boa visibilidade”,conta. Elaine publica no Facebook fotos e vídeos dos produtos.“O Facebook é apenas um contato inicial, pois eu gosto de encontrar o cliente pessoalmente”, diz.
Divulgação de livro
O Facebook nunca atraiu o escritor Humberto Werneck, mas após insistentes pedidos dos amigos, ele resolveu aderir ao serviço. “Imaginei que seria um bom canal para divulgar meu livro. E devo admitir que o esquema funcionou muito bem”, diz. Em agosto, Werneck lançou o título “O Espalhador de passarinhos e outras crônicas”. Ele torce o nariz para posts que falam do cotidiano das pessoas. Prefere publicar, eventualmente, um trecho de um texto que está lendo.
“É despretensioso, mas gosto de ler o comentário, saber que outra pessoa gostou daquilo.” Com mais de 1200 contatos no Facebook, Werneck confessa que a maioria é desconhecida. “É um trampo responder aos comentários que publicam na minha página, mas o ideal é que ninguém fique sem resposta.”
Empresas

Azul tem uma das fan pages mais populares no Brasil: já foi curtida por mais de 118 mil pessoas

A companhia Azul Linhas Aéreas, bastante dedicada às redes sociais, elabora promoções específicas para o Facebook e compra anúncio no site. É uma das fan pages mais populares no Brasil: já foi curtida por mais de 118 mil pessoas. “As redes sociais não são apenas um penduricalho, uma ferramentinha. São uma fenômeno de importância crescente, que trabalhamos com muito foco”, diz Gianfranco Beting, diretor de comunicação e marca da Azul.
A empresa Mars, detentora da marca Pedigree, criou um aplicativo para incentivar as pessoas a adotarem cães e gatos abandonados, que foi baixado por mais de 1500 internautas. O programa compara a idade de um cão a de uma pessoa. “A ideia é chamar atenção para o problema da baixa adoção de cachorros adultos”, diz Cynthia Schoenardie, gerente de assuntos corporativos da Mars, responsável pelo programa Pedigree – Adotar é tudo de bom, que já resultou em mais de 16 mil adoções.
A campanha tem uma estratégia forte na internet, abrangendo portais, Orkut, Twitter e Facebook. Segundo Cynthia, o Facebook exige mais conteúdo que o Twitter, que é mais ágil. Mas todas essas ferramentas surtem efeito, afirma. “Recebemos contatos vindo do Facebook, que causa um ruído muito positivo para a campanha”, diz.
> Exame.com



Video: Aprender a Aprender

Encontrei no blog de meu amigo Douglas ("As Vertigens" - asvertigens.blogspot.com) um link de uma animação no youtube. Essa animação é muito bonita e creio que combina com algumas essencias que um profissional deve ter para conseguir alcançar suas metas. Havendo persistência, determinação, ousadia e fé, sempre será possível a conquista de sua busca.



Diversão Profissional

Jovem André Schuartz inova o mercado de entretenimento brasileiro e lança o primeiro cassino itinerante legalizado



Acordar cedo, dormir tarde e trabalhar muito em nome da diversão. Esse é o lema de André Schuartz, proprietário da Cassinera, único cassino itinerante e legalizado do Brasil. Tanto é que, em sua sala, faz questão de manter um quadro com a célebre frase que diz “talento é 1% de inspiração e 99% de transpiração”. E não se trata apenas de filosofia, pois André começou a trabalhar cedo – “e por vontade própria” – aos 16 anos. Com apenas 22 anos, o administrador paulistano inovou ao apostar num modelo de negócio então inédito – e polêmico – no País. Hoje, aos 25, ele comemora o crescimento da empresa, que deve aumentar 80% em 2010.
“Costumo dizer que o empreendedorismo está no gene da família. Lá em casa sempre existiu uma competição saudável, todos são empreendedores e temos que apresentar resultados”, reflete o empresário ao relembrar o início de sua carreira, aos 16 anos. A Cassinera não foi a primeira experiência de André como empreendedor. Quando entrou na faculdade, aos 18 anos, o jovem abriu sua primeira empresa em sociedade com a mãe, empresária do ramo de vidros. “Minha mãe tinha a produção de objetos de vidro concentrada em Santa Catarina e queria abrir uma fábrica em São Paulo, então eu fiquei responsável pela administração da empresa”, relembra. O negócio durou aproximadamente dois anos e deu ao jovem a oportunidade de experimentar as diferentes áreas – e desafios – da gestão empresarial.
A proposta da Cassinera, fundada em 2008, é levar jogos de cassino – como pôquer, blackjack, baccarat e outros – a festas e eventos corporativos. A ideia surgiu no período em que André, então com 21 anos, fez uma pausa na faculdade de Administração de Empresas da Fundação Armando Álvares Penteado (Faap) para estudar na California State University, em Los Angeles (EUA). Nas horas vagas, aproveitou para fazer um curso de crupiê e trabalhou como free-lancer em cassinos e eventos. “Fui fazer por diversão, pois achei curioso, mas acabei descobrindo que aquilo poderia ser uma profissão – e um negócio – rentável.”
Apesar de gostar do trabalho como crupiê – função que ocupou durante um ano e meio –, havia algo que incomodava o jovem estudante. “Eu sentia uma pressão, uma sensação estranha que me incomodava e, aos poucos, percebi que isso era por causa do dinheiro, por ver as pessoas gastando”, conta. Foi então que surgiu a ideia de voltar para o Brasil e montar uma empresa que oferecesse o entretenimento dos jogos de cassino sem a “pressão” das apostas. “Minha intenção era oferecer jogos em que as pessoas só têm a ganhar em diversão, alegria e relacionamento.”
A Cassinera foi fundada quando André tinha 22 anos, antes mesmo da formatura na Faap. O jovem empreendedor começou sozinho, com uma única mesa de 21. “No início o trabalho foi árduo. Ainda não tínhamos cases de sucesso para apresentar e, apesar das pessoas gostarem da ideia, muitos não a compravam”, relembra. A solução foi aproveitar todas as oportunidades possíveis para divulgar o negócio, principalmente em festas de amigos e familiares. Atualmente a Cassinera conta com 24 mesas de jogos, sendo pôquer, blackjack, roleta, baccarat e craps.
Já posicionada no mercado, a empresa hoje conta com três funcionários – incluindo o próprio André –, além de uma equipe composta por 28 crupiês que trabalham como free-lancers. O perfil dos clientes também mudou. Apesar de continuar fazendo festas mais intimistas, como aniversários e casamentos, os eventos corporativos já respondem pela maior parte da receita da Cassinera. Em dois anos de mercado, a companhia já integrou eventos de grande porte como o Camarote Salvador 2010 e atende a empresas como Volkswagen e Tim. “Cada evento é único. O número de mesas, a performance dos crupiês, tudo varia de acordo com o perfil do cliente”, completa.
O principal desafio foi enquadrar a empresa na legislação brasileira, que proíbe totalmente os jogos de azar. “A solução que encontrei foi não envolver qualquer valor monetário nas apostas e nos jogos”, conta. Por este motivo, a assessoria jurídica foi, desde o início, um dos pontos fundamentais no planejamento estratégico da companhia. O extenso contrato de prestação de serviços é rigoroso e inclui uma cláusula que dá liberdade total à empresa de se retirar do evento caso haja qualquer menção a apostas valendo dinheiro. Para que os jogos não perdessem a graça do “perder ou ganhar”, André manteve as fichas de cassino e investiu no treinamento da equipe.

Treinamento Próprio


Outra dificuldade foi encontrar mão de obra qualificada para comandar as mesas de jogos. Ao tentar recrutar colaboradores em um famoso site de empregos, André foi procurado pela direção do portal, que ficou preocupada, já que não havia nenhum crupiê entre os milhares de currículos cadastrados, e por isso a vaga não poderia ser divulgada. “Percebi então que eu mesmo teria que treinar meus funcionários.” Para solucionar o problema, ele desenvolveu um curso, oferecido gratuitamente aos interessados em trabalhar na Cassinera. O treinamento desenvolvido por André segue os mesmos manuais de conduta dos melhores cassinos do mundo. Tanto que a Cassinera tem sido procurada por cassinos estrangeiros interessados em divulgar suas marcas no mercado brasileiro.
Quando começou, o core business da Cassinera era o entretenimento. Mas, aos poucos, André percebeu que as mesas de jogos tinham outras funções, como aproximar pessoas e facilitar o networking. “Depois percebemos que as mesas eram uma excelente ferramenta para fazer divulgação de produtos e também para treinamento, pois os jogos servem como analogia para falar de riscos e desafios”, relata. Com isso, os clientes corporativos passaram a ser maioria, sendo que a Cassinera – que tem sede em São Paulo – é contratada para eventos em todo o País.
Os bons resultados da empresa – que em 2009 cresceu 70% – tem feito André pensar numa possível expansão através de franquias. “Temos um plano de franquias ainda incipiente, mas que deve ser estruturado em 2011”, revela. Com mais unidades espalhadas pelo País, será possível reduzir os custos com o deslocamento da equipe, facilitando a prospecção de clientes de menor porte em outras regiões do Brasil. “A ideia é ter unidades em polos estratégicos, para conseguir atender a um mercado maior e que seja numa condição financeira melhor para os contratantes. Assim conseguiremos atingir empresas e eventos de menor porte.”

Contato: André Schuartz: www.cassinera.com.br
Reportagem: www.empreendedor.com.br

A Importância do Trabalho Científico


Por Lucas Margotti

A dinâmica do conhecimento no mundo depende de pesquisas e técnicas que vêm sendo estudadas para o desenvolvimento físico e intelectual da sociedade. A partir de novas pesquisas e novas técnicas, cientístas descobrem novos métodos de aprimoramentos essenciais para o desenvolvimento da vida e da sociedade. A capacidade do indivíduo descobrir como manipular os distúrbios causados pela saúde, pelos fatores ambientais, pela formação psicológica do indivíduo e principalmente fatores sociais, econômicos e tecnológicos que podem dificultar o convívio em paz na humanidade, está ligada à ética que lhe foi dada durante sua formação social e profissional.

De tal forma, é perceptível quanto deve ser valorizado e aprimorado cada vez mais o trabalho científico no Brasil e no Mundo. O conhecimento de novas técnicas e de novos horizontes consegue dinamizar o mundo a reagir com novos paradigmas sociais. Quando mais técnicas são descobertas, mais capacidade o indivíduo tem acesso para desenvolver novos saberes. Essa cadeia do conhecimento contribui de forma significativa para o desenvolvimento da percepção do homem e para o progresso. 

É possível imaginar o quando o conhecimento progrediu, e de forma exponencial, até os dias de hoje. É possível imaginar que na Era antes de Cristo, o mundo já passava por enormes mudanças sociais e econômicas. Levando em conta que os primeiros indícios de vida humana na terra surgiram há 200.000 anos atrás, é possível entender que nos últimos 2 a 3 mil anos que o indivíduo passou a desenvolver um pensamento mais crítico e intelectual. Uma análise ousada que podemos destacar, seria a diferença social e paradoxa do mundo atual com a sociedade 200 anos atrás, ou até mesmo perceber as estruturas sociais e científicas do Brasil nos últimos 100 anos.
Como um principal sujeito dessas mudanças sociais e tecnológicas no mundo, o trabalho científico desde sempre visualizou o conhecimento e o aprimoramento de novas técnicas para o desenvolvimento tecnológico e social. Como exemplo, teorias elaborada nos passado, como as Teorias Gerais da Administração, conseguiram um impacto marcante na formação da sociedade empresarial. Desde a Administração Científica de Taylor ou a Administração Clássica de Fayol, teorias e novos paradigmas têm sido criados para contrapôr os problemas organizacionais estabelecidos por essas escolas organizacionais que, a partir de determinados momentos e situações, tornam-se inaplicáveis em decorrência de um novo contexto social. 

Por isso, tem sido cada vez mais perceptível a importância o trabalho científico, sejam nas áreas tecnológicas, sociais aplicadas, humanas ou qualquer outra área do conhecimento. É importante que o mundo valorize esse tipo de trabalho e perceba como o trabalho científico contribui para a formação do indivíduo e da sociedade em geral.

Hora de voltar



O ano de 2011 começou a pleno vapor. Enquanto as organizações continuavam suas funções sociais, nós acadêmicos estavamos recompondo nossas energias, nossas forças para mais um ano de novidades. Da mesma forma que muitos lamentam por esse tempo ter esgotado, existem pessoas contando os dias para começar essa nova experiência (calouros) e outros ainda que conseguiram aprovação em projetos de iniciação científica e pesquisa.

Com energias recompostas, é tempo de pensar em novos projetos, novas idéias, inovações para desenvolver cada vez o conhecimento. Com nova perspectiva tambem, o blog retorna agora em fevereiro com mais força, visando cada vez mais o conhecimento em Administração e Negócios. Será discutido e visualizado também a possível participação de outras disciplinas e ciências no blog, explorando cada vez mais a atualização do conhecimento que contribua para a Administração, Economia, Negócios, etc. Tais disciplinas poderão ser Línguas, História, Sociologia, Ciências Sociais Variadas, Ciências Humanas. Também haverá uma iniciação ao conhecimento e informações sobre Pós-Graduações e novidades em Universidades e Instituições de Ensino Federais.

De toda forma, o blog dará muita ênfase a pesquisa e ao conhecimento da Administração e Negócios. A participação dos visitantes será de extrema importancia para o desenvolvimento do blog. O blog tende a ser um grupo de apoio aos empresários, empresas e organizações, grandes ou micro-empresas, dando importância para o desenvolvimento organizacional, pessoal e profissional.

Leia mais