Pesquisar

Gestão Financeira para Pequenas Causas

[CENTÉSIMA PUBLICAÇÃO! \o/ TutorExecutivo.com ] 

Por Lucas Margotti

A ascensão da classe C e D, a disponibilidade de crédito para esses novos consumidores, o incentivo do governo para o consumo massivo e a mudança paradigmática relacionada ao novo estilo de vida dos brasileiros proporcionaram diversas variáveis para estudos e pesquisas sobre essa nova formação social. Mas o maior problema é que o consumo excessivo não está mais relacionado à necessidade pessoal, mas à necessidade social destinada à suprir o ego. Esse novo comportamento tem desenvolvido uma nova forma de administrar equivocadamente as finanças pessoas e, do "jeitinho brasileiro", viver o agora para pagar depois. Dessa forma, o planejamento financeiro para pequenas causas torna-se urgente, para não chegar o momento em que as receitas pessoais serão muito menor do que as despesas, tornando àrduo a manutenção do cotidiano.


A necessidade de um planejamento financeiro para pequenas causas, tais como despesas domésticas, gastos eventuais, investimentos, dentro outros, deve ser muito incentivado para que tenhamos uma vida e finanças organizadas. Em outros países, as crianças crescem aprendendo elaborar um planejamento financeiro e organizar suas contas, visando a universidade no futuro. Tal iniciativa tem muito estímulo dos pais que promovem esse desenvolvimento de finanças para os filhos. No Brasil, isso não acontece. O Brasileiro passou muitas dificuldades sociais e políticas no passado e usa esse momento de estabilidade atual para promover um consumo demasiado, através de créditos e prazos, sem se preocupar com o futuro.

Muitos conseguem aproveitar eficientemente essas oportunidades. Utilizam créditos, estudam a possibilidade de comprar à vista ou à prazo de acordo com as taxas e juros disponíveis, promovem o consumo farto e ainda, fazem um planejamento financeiro para suprir suas necessidades. Muitos alegam que planejamento financeiro somente tem aplicabilidade na classe alta, que é competência deles esse sucesso, mas posso dizer que, através de uma observação empírica, é justamente o contrário que acontece. Um casal que possui uma renda de até 1 salário mínimo proveniente de cada membro, consegue se adaptar economicamente em pequenas cidades. Da mesma forma, um casal com renda média de R$ 1.000 pro cada membro, consegue se adaptar economicamente em um centro urbano.


Em muitos dos casos, as despesas essenciais para a sobrevivência não passam de 50-65% (despesas essenciais: aluguéis, energia, iluminação, rede de água e esgoto, alimentação, bens de consumos primários, etc). Os demais gastos são relacionados à aquisição de bens para satisfação pessoa. Para os brasileiros, esse consumo pode chegar a 70% da renda, deixando outros 30%, ou até menos, para a manutenção de despesas essenciais. Para isso, torna-se muito necessário a elaboração de um planejamento financeiro pessoal para que endividados possam controlar seus orçamentos e sejam capaz até de investir e aplicar recursos para aquisições conscientes. Tal planejamento pode ser feito tanto em uma planílha do Excel quanto em uma folha escrito à mão. Mas, antes de começar esse planejamento, é necessário um estudo sobre todas as contas futuras juntamente com o orçamento familiar. Nesse caso, organize suas receitas e todas as despesas atuais. Assim, planeje uma reação para pagar as contas em excesso e chegar ao momento de despesas excessivas nulas. Após isso, reestruture suas contas da seguinte forma:

Receitas Totais (salários/renda)
(-) Despesas essenciais (Contas de água/esgoto/impostos/luz/aluguél/alimentação/supermercado/condomínio/faculdade/escola/etc.)
(=) Valor líquido disponível (Se estiver em negativo, esse estudo não se aplica)

Do valor líquido disponível, reserve porcentagens, mensalmente, para:

Gastos do cotidiano (Variável)
São gastos que podemos ter no dia-a-dia, como um lanche em uma tarde, taxi ou ônibus para deslocamento, um pequeno gasto com alguma atividade eventual, etc.

Gastos com compras (40%)
Esse é o gasto mais problemático que se encontra na estrutura. Ele é responsável pelo endividamento e falhas no planejamento financeiro, quando analisado equivocadamente. Ele é item que tem como base o comportamento e aspectos sociais, por estar ligado ao psicológico do indivíduo. Esse gasto é o mais satisfatório mas o mais arriscado. Tendo um direcionamento, proporcionando uma porcentagem de margem para esse gasto, torna-se fácil ter acesso à esse gasto com tranquilidade.
  
Gastos com diversão (Variável)
É um gasto que pode variar, mas que deve ser medido de acordo com o grau individual de necessidade. É importante, mas também deve ser planejado adequadamente.

Investimentos (15-20%)
Como o item mais importante, deve analisar e trabalhar bem na questão do investimento pessoal. As vezes, vale a pena investir e ter o produto à vista com desconto no futuro do que conseguir agora e pagar o dobro do valor. É importante também para o futuro a longo prazo, possibilitando viver com tranquilidade sabendo que o futuro está garantido. 

Investimentos de segurança (10%)
Esse é tipo de gasto primordial. Esse investimento de segurança refere-se à aplicação de 10%, em média, dos recursos para eventos futuros. É essencial para pessoas que não possuem um plano de saúde ou um seguro de vida. Também necessário para acidentes que possam surgir no futuro, e que demandará um investimento acima do esperado. 

Portanto, é muito importante que haja um planejamento financeiro não só para investimentos e aplicações, como tem sido bastante usado essa ferramenta, mas como uma forma de administrar as finanças pessoais do cotidiano e de pequenas causas. Existem milhões de brasileiros que vivem sem qualquer planejamento financeiro e que estão desprevenido de qualquer eventual problema que possam surgir, comprometendo sua estrutura vital. 

Esse texto tem como base a concientização sobre como é importante a gestão financeira para pequenas causas e como isso pode ser trabalhado para o bem-estar do indivíduo. Quando as pessoas conseguem gerir bem essa ferramenta, passa a viver feliz, protegida e consciente.

*Todos os dados e informações acimas foram sugeridos pelo Tutor Executivo, sendo possível um estudo detalhado e aprofundado para exatidão de dados subjetivos



> Caso tenha interessa em que o Tutor Executivo colabora com dúvidas, elaboração do planejamento financeiro, suporte financeiro, aplicação do PF, acesse a página a seguir: Tutor Executivo Serviços

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leia mais