Pesquisar

Video: QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO?


Baseado no livro de Spencer Johnson, "Quem mexeu no meu queijo?". O filme ilustra uma parábola que revela algumas características de mudanças. Divertido e esclarecedor, o video mostra a história de quatro personagens - dois ratos e dois duendes - em busca de uma boa vida, emprego e paz. Muito usado em palestras motivacionais. Assista o video aqui no Tutor Executivo!

Elementos de uma marca: Construção da "Brand Equity"

Por Lucas Margotti


Segundo a American Marketing Association, marca é definida como um "nome, termo, sinal, símbolo ou design, ou a combinação desses elementos, destinado a identificar os produtos ou serviços de um fornecedor (ou grupo de fornecedores) para diferenciá-los dos outros concorrentes. Assim, a marca é portanto um produto ou serviço que agrega dimensões que, de alguma forma, o diferenciam de outros produtos ou serviços desenvolvidos para satisfazer a mesma necessidade (KOTLER, 2006). De fato, a criação e fortalecimento de uma marca requer cuidados no planejamento e necessita de grandes investimentos no longo prazo. Seguindo a proposta de Kotler na definição de marcas, marcas são capazes de identificar a origem ou o fabricante de um produto e permete que consumidores atribuam a responsabilidade pelo produto a determinado fabricante ou distribuidor. Além disso, desempenham funções valiosas para as empresas, simplificando o manuseio ou o rastreamento de produtos, além de ajudar a organizar os estoques e registros contábeis, oferendo também proteção jurídica quanto aos recursos ou aspectos exclusivos do produto, tendo seu nome protegido por marcas registradas, manufaturas por patentes e embalagens por direitos autorais. A Brand Equity, segundo Kotler, é o valor agregado atribuído a produtos e serviços, podendo refletir no modo como os consumidores pensam, sente ou agem em relação a uma marca, seja pelo preço, participação de mercado ou na lucratividade proporcionada pela marca para a empresa. 


O que é preciso para ser um CEO

De Amanda Previdelli, do Portal Exame

Quando abre uma nova vaga de CEO em empresas da América Latina a tendência é que funcionários de dentro das próprias empresas assumam o posto. E neste caso, os diretores das áreas comercial e financeira são os mais indicados para assumir a liderança da companhia, segundo levantamento da Fesa. Mas qual o diferencial dos profissionais desses setores que fazem com que eles sejam os principais candidatos para presidência de uma empresa?


As duas áreas são estratégicas e costumam formar muitos executivos nas empresas, mas por qual motivo? Qual o diferencial dos profissionais desses setores que fazem com que eles sejam os principais candidatos para presidência de uma empresa?


Leia mais