Pesquisar

O presente e o futuro da educação: o modelo e-learning

Por Lucas Margotti

Observando as tendências desse modelo e o movimento do consumidor em relação aos produtos/serviços educacionais oferecidos nas redes, o e-learning está em constante movimento e, utilizando uma análise de marketing, observado como ameaça para as instituições de ensino convencionais. Esse modelo de ensino eletrônico se consolida no ambiente online e representa um processo em que o aluno aprende através de conteúdos disponíveis por uma rede e é orientado por um professor que se encontra em qualquer parte do mundo, estando ambos interligados pela internet. 

Para que o processo de aprendizagem se tornasse solido, foram desenvolvidos sistemas de gestão de aprendizagem (Learning Management System), projetados para funcionar como salas de aula virtuais, proporcionando interação entre seus participantes e contato imediato entre professor e alunos. Através do e-learning, as etapas da aprendizagem são programadas, divididas em módulos e são utilizados diversos recursos dinâmicos como videos, textos, imagens, apresentações multimídia, bate-papo e redes sociais. Assim, entre as vantagens desse sistema se encontra a quebra das barreiras geográficas. As aulas podem ser dadas por um professor em qualquer parte do mundo, além de ter os alunos em diferentes lugares. Tal sistema também possibilita ao aluno gerenciar o seu próprio tempo disponível, dentro dos padrões estabelecidos pelo curso, sem perder tempo com deslocamentos. O aluno pode estudar a qualquer hora, sem controle de tempo. Na realidade, quanto mais tempo o aluno gastar no processo de aprendizagem, mais vantajoso será para o mesmo.

Através do e-learning, aumentou a difusão do conhecimento e da informação para os alunos. Tornou-se uma forma de democratizar o saber através da tecnologia, permitindo que o conhecimento fosse compartilhado e disponível para o interessado a qualquer momento. Além disso, o conteúdo é constantemente atualizado e personalizado de acordo com o objetivo do aluno, além do foco ser totalmente no aluno, no que diz respeito a sua capacidade de auto-aprendizagem. Único fator que é visto negativamente nessa ferramenta está na necessidade do aluno gerenciar seu processo de aprendizagem. 

ENGLISHTOWN - Exemplo de sucesso:

Atualmente existem diversas escolas de inglês online e cada vez mais novas escolas estão surgindo. Mas devido ao conhecimento e experiência na EnglishTown, a mesma será utilizada como exemplo. Assim, a EnglishTown é uma escola online da língla inglesa com atividades dinâmicas e interativas, além de aulas de conversação com professores nativos. A escola é totalmente online e funciona 24 horas por dia. 


Foi o primeiro projeto de ensino a distância, projetado em 1994. O objetivo do projeto era interligar o conhecimento com um aluno em qualquer lugar e com a mesma dinâmica de uma aula convencional. A idéia partiu de Bill Fisher (fundador e atual CEO) que, após se formar em Ciências da Computação, inscreveu-se para estudar Economia na Suécia. Como não sabia a língua sueca, pensou em uma forma de aprender o idioma da forma mais rápida possível. Assim, desenvolveu seu próprio programa de estudo por computador. Segundo ele, os métodos tradicionais de ensino de idiomas forçavam todos os alunos a caminhar no mesmo ritmo e isso era algo negativo para ele. O aprendizado tinha que ser flexível, conveniente e pessoal, de acordo com as necessidades de cada um. Esses princípios e o programa de aprendizado desenvolvido por Bill convenceram Bertil Hult, fundador da EF, a investir no projeto. Foram investido cerca de US$ 55 milhões e cinco anos de pesquisas para desenvolver as bases da escola de inglês online. Hoje, a EnglishTown se consolida com a pioneira no ensino online da língua inglesa.

A EnglishTown está no Brasil desde 2001 e tem crescido mais de 60% ao ano. Possui mais de 20 milhões de usuários e 10% destes são brasileiros. O Brasil é o segundo país com número de alunos na EnglishTown, sendo a China a primeira. A escola tem parceria com diversas universidade e escolas internacionais, entre elas a Universidade de Cambridge (Inglaterra). Além disso, a escola já recebeu diversos prêmios, entre eles:
  • Prêmio IMA por Excelência em Educação - Interactive Media Awards, do Conselho de Mídia Interativa, Inc
  • Melhor Sistema de Gerenciamento de Ensino – Premiação Comenius-EduMedia, realizada pela Sociedade pela Pedagogia e Informação (Alemanha)
  • Melhor Solução para Treinamento do Ano – Premiação da Human Resource Executive.
  • Premiada na Categoria Educação para Programas Online ou à Distância no E-Learning Awards.
  • Vencedora da Categoria Geral de Sites de Educação no W³ Awards
  • Premiada no WebAward 2010 por Destaque Notável em Desenvolvimento na Web
Sou aluno da EnglishTown há dois anos e considero o modelo como um método inovador de aprendizado. Para aqueles que buscam rapidez, qualidade e autogestão do aprendizado, o EnglishTown, ou outras escolas da língua inglesa online, provavelmente atenderá aos objetivos. É empolgante estar em um ambiente virtual conversando com um professor nativo e outros alunos de diversas partes do mundo, como chineses, russos, japoneses, indianos, africanos, etc.


Porém, considero eficiente o modelo para aqueles que já possuem conhecimento básico da língua. Para aqueles que possuem dificuldade na língua ou que não possuem conhecimento algum, não sei dizer se seria eficiente, pois as escolas convencionais exercem controle no aprendizado do aluno e introduzem no aluno a iniciação ao estudo extra-classe, como homeworks, locação de livros, e-books e audiobooks e demais recursos que introduzirá o aluno a obrigação em estudar por conta, tornando essa atividade ou obrigação uma rotina para o mesmo. No método online english, não há controle e o aluno pode vir a acomodar por não conhecer um ritmo ideal para aprendizado, o que é visto em escolas convencionais.








Leia mais